Publicidade

Menor Infrator possui direitos?

abril 12, 2021
menor infrator

O menor infrator no Brasil tem direitos, contudo, a forma de tratar os crimes por eles cometidos se difere dos maiores de 18 anos.

Sendo assim, continue com a leitura a fim de saber todas as informações relacionadas aos direitos do menor infrator. Boa leitura!

Direito de Arrependimento: Como funciona esse recurso?

Quem é o Menor Infrator?

menor infrator

Primeiramente, o menor infrator é quem, com menos de dezoito anos (idade onde se atinge a maioridade penal), comete ato infracional. Esse termo ato infracional foi criado pelos legisladores quando elaboraram o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), justamente pela forma de tratamento diferenciado do menor infrator. Pois, a Constituição Federal brasileira determina a condição de inimputável aos menores de 18 anos. Sendo assim, considera-se que as crianças e adolescentes não cometem crimes ou contravenções penais, mas, sim, atos infracionais.

Publicidade

De acordo com o artigo 103 do ECA: “considera-se ato infracional a conduta descrita como crime ou contravenção penal”. Sendo assim, os menores de 18 anos nos quais cometem alguma infração, não sofrem uma penalização, mas sim a aplicação de medidas socioeducativas. Portanto, o foco das ações é maior na reeducação do que na punição do menor infrator.

Direitos do Menor Infrator

Segundo a legislação brasileira, o menor de 18 anos não pode ser tratado com igualdade pela legislação penal. Sendo assim, quando um menor comete algum ato delituoso, ele precisa de proteção, cuidados e um processo de reeducação para a vida social. Se um ato infracional é cometido por criança de até 12 anos incompletos, ela deve ser encaminhada ao Conselho Tutelar. Sendo assim, o menor infrator está sujeito à aplicação das ações de proteção previstas no art. 101 do ECA, quando verificada qualquer das hipóteses previstas no art. 98, a autoridade competente poderá determinar, entre outras ações as seguintes medidas:

  • Encaminhamento aos pais ou responsável, mediante termo de responsabilidade;
  • Orientação, apoio e acompanhamento temporários;
  • Matrícula e frequência obrigatórias em estabelecimento oficial de ensino fundamental;
  • Inclusão em programa comunitário ou oficial de auxílio à família, à criança e ao adolescente;
  • Requisição de tratamento médico, psicológico ou psiquiátrico, em regime hospitalar ou ambulatorial;
  • Inclusão em programa oficial ou comunitário de auxílio, orientação e tratamento a alcoólatras e toxicômanos.

Portanto, o foco dessas ações é orientar, apoiar e acompanhar o menor infrator em tratamentos médicos, psicológicos ou psiquiátricos, em hospitais e ambulatórios, ou outros. Já se o ato infracional é cometido por adolescente de 12 a 18 anos, estes passarão por um processo legal. Nesse processo eles têm o direito garantido de defesa técnica e defesa pessoal sobre os atos imputados.

Processo legal

O menor infrator tem o direito de ser ouvido pessoalmente por autoridades como o Juiz da Infância e da Juventude, o representante do Ministério Público e/ou da Defensoria Pública. Ele também tem o direito de permanecer em silêncio, sem que isso seja considerado confissão ou concordância com as imputações. Decorrido o processo legal, o menor infrator pode receber a determinação de aplicação de uma medida socioeducativa na qual pode, ou não ser cumulada com outras medidas de proteção. Dessa forma, essas ações socioeducativas têm caráter ou natureza pedagógica, e nunca uma penalidade.

Publicidade

Medidas socioeducativas aplicáveis

Primeiramente, no artigo 112 do ECA, estão definidas todas as medidas socioeducativas nas quais podem ser aplicadas ao menor infrator. Sendo assim, após verificada a prática da infração, a autoridade competente poderá aplicar ao adolescente as seguintes ações:

  • Advertência;
  • Obrigação de reparar o dano;
  • Prestação de serviços à comunidade;
  • Liberdade assistida;
  • Inserção em regime de semiliberdade;
  • Internação em estabelecimento educacional;
  • Qualquer uma das previstas no art. 101, I a VI.

Dessa forma, veja abaixo os parágrafos contidos no artigo 112 do ECA sobre o menor infrator:

  • A medida aplicada ao adolescente levará em conta a sua capacidade de cumpri-la, as circunstâncias e a gravidade da infração;
  • Em hipótese alguma e sob pretexto algum, será admitida a prestação de trabalho forçado;
  • Os adolescentes portadores de doença ou deficiência mental receberão tratamento individual e especializado, em local adequado às suas condições.

Sendo assim, a função dessas ações é reabilitar, e não punir o menor infrator. Espera-se que, aplicando medidas socioeducativas associadas ou não às medidas de proteção, o menor infrator possa ser recuperado. É proibida a aplicação de qualquer medida na qual não esteja elencada de forma expressa no rol dos artigos 101 (de proteção) e 112 (socioeducativas) do ECA. Gostou do nosso artigo sobre os direitos do menor infrator? Aqui no nosso blog você sempre encontrará explicações para as suas dúvidas sobre direitos.

Ação de devolução de depósito bancário de caução!

Encontre advogados perto de você!

Descreva seu problema para nossos profissionais e você será contatado pelo WhatsApp em poucas horas!

* O envio do seu problema é gratuito, porém os honorários oficiais poderão ser cobrados pelo profissional jurídico.

sobre o autor

conteúdos relacionados

Trabalho sem Carteira Assinada: Conheça os seus direitos!

Trabalho sem Carteira Assinada: Conheça os seus direitos!

O trabalho sem carteira assinada ainda é um dos problemas que colocam em risco os direitos do trabalhador brasileiro. De acordo com a legislação, todo trabalhador, pessoa física, que trabalha com subordinação, de forma contínua, com pessoalidade e recebendo uma remuneração, tem direito de ter essa...

Trabalho Escravo: Por que ainda existe nos dias de hoje?

Trabalho Escravo: Por que ainda existe nos dias de hoje?

O Trabalho Escravo ainda é uma das questões sociais mais sérias no Brasil. Dados do Observatório do Terceiro Setor, apontam que em 25 anos cerca de 55 mil pessoas foram resgatadas do trabalho considerado escravo no Brasil. Somente no ano de 2020, cerca de 942 pessoas foram resgatadas trabalhando...

Empresa Simples de Crédito: Conheça esse novo negócio!

Empresa Simples de Crédito: Conheça esse novo negócio!

Neste artigo vamos falar sobre a Empresa Simples de Crédito, um novo negócio que já tem dado o que falar no campo do direito. Já sabe o que é e como ela funciona e a quem ela oferta créditos por meio de empréstimos e financiamentos? Acompanhe a leitura desse artigo que você vai entender tudo isso...

deixe seu comentário