Publicidade

Guarda dos filhos na separação de união estável!

junho 01, 2021
separação de união estável

Primeiramente, nem todos os relacionamentos duram para sempre, seja qual for o motivo do término desse relacionamento, é preciso fazer a separação de união estável.

Sendo assim, confira neste artigo todas as informações necessárias sobre como fazer a separação de união estável e todos os processos envolvidos.

Como solicitar a aposentadoria especial? Descubra agora!

Separação de união estável

separação de união estável

Normalmente, a união estável pode ser formalizada e comprovada de várias formas, por contrato feito por um advogado e registrado ou através de escritura pública no Tabelionato de Notas e Registro. Ou então, a separação de união estável nem chega a ser formalizada, tendo apenas a convivência do casal na mesma residência por mais de 2 anos já pode comprovar. Mas todos sabemos que nem todo relacionamento dura para sempre, então, é preciso fazer a separação da união estável.

Publicidade

Indiferente da forma constituída, a união estável é prevista no Art. 1.723 do Código Civil, como se casamento fosse e havendo a separação do casal, deve a separação de união estável. A separação de união estável pode ser feita extrajudicialmente quando não existem filhos menores da união. Então, quando um casal tem apenas bens, dívidas e questões particulares a fim de definir podem ir até o Tabelionato de Registros novamente e solicitar a dissolução, seja acompanhado de advogado ou não. Lembrando que a contratação de um profissional de modo a orientar na divisão dos bens é muito importante.

Separação de união estável: Guarda dos filhos

Primeiramente, quando o casal tem filhos menores de idade é necessário realizar de maneira judicial a separação mesmo por união estável. Sendo a separação consensual é solicitada a homologação do acordo, caso não haja consenso, será requerida a dissolução litigiosa.

Porque é preciso o processo judicial?

Quando existe o direito de criação e/ou adolescentes, ou seja, de menores de 18 anos de idade, o Ministério Público precisa fiscalizar e verificar se todos os direitos foram respeitados após a separação de união estável.

Separação de união estável: Definição da guarda

A regra geral trazida pela legislação é a guarda compartilhada nos casos de separação de união estável. Ou seja, o filho convive nas duas residências, a do pai e a da mãe, de forma alternada, buscando manter a sua rotina de estudos e atividades de lazer. Caso não seja possível o compartilhamento, após a separação a custódia poderá ser o modelo unilateral para um dos genitores, seja o pai ou a mãe, com as visitas regulares pelo outro genitor.

Quem irá definir são os pais, caso não haja consenso, o juiz, com os assistentes da justiça, Ministério Público, psicólogos e assistentes sociais irão verificar as necessidades da criança e arbitrar quem será o responsável e como serão as visitas. É importante lembrar que isso é um direito da criança. Portanto, é sempre importante pensar no convívio da criança com ambos os genitores. Portanto, não existe quem cuidou mais ou se dedicou mais tem mais direito. A convivência é pensada no filho, a fim de manter o seu pleno desenvolvimento nas fases iniciais da vida.

Separação de união estável: quem paga a pensão alimentícia?

Mais uma vez, a pensão é para as crianças. Portanto, nos casos de custódia compartilhada cada genitor vai arcar com as despesas do menor de idade durante o período que está em sua residência. Dessa mesma forma, a escola será sempre a mesma, então se a criança vai em escola particular, a despesa é dividida. Sendo assim, é necessário manter o padrão de vida da criança, um dos genitores pode auxiliar o outro, caso tenha mais condições. Mas, nos casos da guarda unilateral, como a criança reside apenas com um responsável, o outro genitor deve auxiliar nas despesas.

Publicidade

Os pais separados precisam de um advogado?

No caso de acordo e definição das guardas e visitas de forma consensual, apenas um profissional pode representar o orientar o casal no processo de separação de união estável, o processo judicial será de homologação do acordo.

Decidida a guarda ela poderá ser alterada?

Seja por término da união estável ou casamento, a custódia é distinta da relação entre os pais. Portanto, ela pode ser revista a qualquer momento independente dos pais reatarem ou não a relação. Sendo assim, quando as necessidades da criança estiverem prejudicadas pela forma escolhida, poderá ser revisto, também de forma consensual inicialmente. Porém, caso seja necessário, é requerido ao juizado. O mais importante na definição da guarda é deixar todos os pontos bem claros, a forma de comunicação entre os genitores é primordial nesse momento. Alguns pontos nos quais são definidos evitam futuros conflitos:

  • Horários e datas de visitas;
  • A forma de contato entre os genitores para comunicar os assuntos pertinentes a criação do filho;
  • Datas comemorativas, como Natal, Ano Novo, Dia dos Pais e Dia das Mães não podem ser previstos para daqui a 5 anos, nestes casos é importante ter a conversa entre os pais a fim de decidirem mais próximo às datas;
  • Assuntos escolares, comparecimento em reuniões, transporte;
  • Atividades de lazer, quem é responsável dentro da rotina da criança.

Portanto, a separação de união estável está prevista no Art. 1.723 do Código Civil, sendo um direito do casal. Gostou do artigo? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Deixa nos comentários abaixo!

Saiba tudo sobre o Imposto de Renda de Aposentados!

Encontre advogados perto de você!

Descreva seu problema para nossos profissionais e você será contatado pelo WhatsApp em poucas horas!

* O envio do seu problema é gratuito, porém os honorários oficiais poderão ser cobrados pelo profissional jurídico.

sobre o autor

conteúdos relacionados

Trabalho sem Carteira Assinada: Conheça os seus direitos!

Trabalho sem Carteira Assinada: Conheça os seus direitos!

O trabalho sem carteira assinada ainda é um dos problemas que colocam em risco os direitos do trabalhador brasileiro. De acordo com a legislação, todo trabalhador, pessoa física, que trabalha com subordinação, de forma contínua, com pessoalidade e recebendo uma remuneração, tem direito de ter essa...

Trabalho Escravo: Por que ainda existe nos dias de hoje?

Trabalho Escravo: Por que ainda existe nos dias de hoje?

O Trabalho Escravo ainda é uma das questões sociais mais sérias no Brasil. Dados do Observatório do Terceiro Setor, apontam que em 25 anos cerca de 55 mil pessoas foram resgatadas do trabalho considerado escravo no Brasil. Somente no ano de 2020, cerca de 942 pessoas foram resgatadas trabalhando...

Empresa Simples de Crédito: Conheça esse novo negócio!

Empresa Simples de Crédito: Conheça esse novo negócio!

Neste artigo vamos falar sobre a Empresa Simples de Crédito, um novo negócio que já tem dado o que falar no campo do direito. Já sabe o que é e como ela funciona e a quem ela oferta créditos por meio de empréstimos e financiamentos? Acompanhe a leitura desse artigo que você vai entender tudo isso...

deixe seu comentário