Qual a idade mínima permitida para Trabalho Infantil?

fevereiro 03, 2021
trabalho infantil

Primeiramente, o trabalho infantil no Brasil e no mundo é uma realidade, apesar da proibição, é bem comum encontrarmos crianças trabalhando no Brasil.

Neste artigo vamos falar como a legislação considera a idade para trabalhar, como funciona o trabalho infantil regulamentado e a emancipação do menor. Vamos lá?

Conheça os tipos de responsabilidade jurídica e fique atento!

O trabalho infantil no Brasil e no mundo

Segundo o relatório Medir o Progresso na Luta contra o Trabalho Infantil, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), no mundo 168 milhões de meninos e meninas com idade entre 5 e 17 exercem algum trabalho infantil. Sendo assim, isto equivale a 11% das crianças e adolescentes. No Brasil o tema é bastante polêmico, até por não haver uma legislação específica. O IBGE, através da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2015, apontou que 2,7 milhões de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos trabalhavam no Brasil.

trabalho infantil

Em 2017 o mesmo IBGE divulgou novos dados, baseando-se em uma nova metodologia na PNAD. Sendo assim, a pesquisa apontou que 1,8 milhões de crianças entre 5 e 17 anos exerciam trabalho infantil em 2016. Dessa forma, parte do trabalho infantil ficou como atividade permitida. Diante da redução de trabalho infantil em mais de 1 milhão de um ano para o outro, houve uma Nota explicativa do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI). Segundo a Nota, o número de 1,8 milhões não incluiu crianças e adolescentes nos quais trabalham no consumo. Contudo, é possível perceber que os números oficiais são alarmantes, além de controversos.

Legislação: idade para Trabalho infantil

A regra base sobre essa questão está estabelecida na Constituição Federal brasileira, no art. 7º, inciso XXXIII e art. 227, § 3º, inciso I, define: crianças e adolescentes compõem um regime especial de proteção da sociedade. Nesse contexto só estão autorizados a trabalhar os menores após a idade de 14 anos. E ainda, quem tem entre 14 e 16 anos só pode trabalhar na condição de menor aprendiz. Ou seja, a atividade precisa ser mais relacionada ao desenvolvimento intelectual do menor e não à exploração de sua força de trabalho. Somente depois dos 16 anos, pode-se exercer praticamente todas as atividades no mercado de trabalho.

Com exceção de trabalhos em período noturno ou atividades consideradas perigosas. Portanto, a classificação das piores formas de trabalho infantil é estabelecida pela Convenção 182 da OIT, adotada por vários países, inclusive o Brasil. Contudo, dentre as atividades nas quais mais oferecem riscos, de acordo com a Convenção 182 estão: exploração sexual, trabalho na rua, minas de carvão, lixão, agricultura, em exposição com agrotóxicos e trabalho doméstico. Mas em suma, tudo aquilo que for prejudicial ao desenvolvimento e à moral das crianças e adolescentes não é permitido.

Trabalho infantil regulamentado

Eventualmente, a depender do caso, mesmo com toda a clareza expressa na Constituição Federal, ainda há a possibilidade de autorização especial da Justiça. Isto ocorre quando o trabalho infantil exerce certas áreas, como é o caso de trabalhos artísticos.

O art. 8º da Convenção 138 da OIT regulamenta a participação de trabalho infantil áreas artísticas, porém há a necessidade de autorização judicial. O alvará de permissão define o número de horas e as condições exigidas a fim dessa atividade envolvendo os menores possam ser exercidas.

Emancipação do menor

A emancipação do menor pode ocorrer a partir dos 16 (dezesseis) anos. São 3 as hipóteses de emancipação. Veja:

  • Voluntária, regulamentada pelo art. 5º, inciso I, do Código Civil ocorre quando os pais autorizam;
  • Judicial, é regulamentada pelo art. 5º, inciso I, do Código Civil ocorre quando o juiz concede em sentença;
  • Legal, prevista no art. 5º, incisos II, III, IV e V, também do Código Civil. Esta é automática e ocorre de acordo com situações previstas.

A emancipação legal pode ser feita através de casamento, ingresso no serviço público e constituição de meios econômicos próprios. Portanto, o menor entre 16 (dezesseis) e 18 (dezoito) anos no qual trabalha e constitui renda própria pode ser emancipado seja por requerimento ou automaticamente. Contudo, se você tiver 14 anos completos, é possível ingressar no Menor Aprendiz, o site Menor Aprendiz Brasil, lista as melhores vagas abertas no país, confira!

Portanto, agora você já sabe a situação do trabalho infantil no Brasil exige muita cautela, depende também da análise judicial na qual autoriza ou não dispõe de uma legislação específica. Continue acompanhando o blog a fim de saber tudo sobre a nossa legislação e suas nuances interpretativas.

Vai entrar com ação nas pequenas causas? Então leia isso!

sobre o autor

conteúdos relacionados

Lei Sansão: Maus-tratos de animais tem pena aumentada!

Lei Sansão: Maus-tratos de animais tem pena aumentada!

Você conhece a Lei Sansão de proteção aos animais? Segundo o site do UOL, recentemente a Delegacia Eletrônica de Proteção Animal registrou um aumento de 81,5% nas denúncias de maus-tratos contra animais em São Paulo. Há fortes movimentos políticos e sociais focados em pressionar os legisladores...

Juros de Obra: Como saber se estão te cobrando a mais?

Juros de Obra: Como saber se estão te cobrando a mais?

Você sabia que quando você compra um imóvel na planta e financia pelo banco existe um risco de pagar Juros de Obra a mais? Atenção! Este é um assunto que muita gente não sabe e o prejuízo pode ser muito grande. Conheça as regras do Teletrabalho e como ele diferencia do Home-Office. Neste post...

Teletrabalho: Como seguir a lei e as recomendações do MPT?

Teletrabalho: Como seguir a lei e as recomendações do MPT?

Com o aumento do Teletrabalho o Ministério Público do Trabalho se pronunciou. Isso, a fim de manter as condições mínimas de segurança e qualidade da saúde do trabalhador. Confira nesse texto tudo sobre o Teletrabalho e quais as recomendações do MPT. Teletrabalho: As recomendações do MPT O...

deixe seu comentário