Qual a idade mínima permitida para Trabalho Infantil?

fevereiro 03, 2021
trabalho infantil

Primeiramente, o trabalho infantil no Brasil e no mundo é uma realidade, apesar da proibição, é bem comum encontrarmos crianças trabalhando no Brasil.

Neste artigo vamos falar como a legislação considera a idade para trabalhar, como funciona o trabalho infantil regulamentado e a emancipação do menor. Vamos lá?

Conheça os tipos de responsabilidade jurídica e fique atento!

O trabalho infantil no Brasil e no mundo

Segundo o relatório Medir o Progresso na Luta contra o Trabalho Infantil, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), no mundo 168 milhões de meninos e meninas com idade entre 5 e 17 exercem algum trabalho infantil. Sendo assim, isto equivale a 11% das crianças e adolescentes. No Brasil o tema é bastante polêmico, até por não haver uma legislação específica. O IBGE, através da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2015, apontou que 2,7 milhões de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos trabalhavam no Brasil.

trabalho infantil

Em 2017 o mesmo IBGE divulgou novos dados, baseando-se em uma nova metodologia na PNAD. Sendo assim, a pesquisa apontou que 1,8 milhões de crianças entre 5 e 17 anos exerciam trabalho infantil em 2016. Dessa forma, parte do trabalho infantil ficou como atividade permitida. Diante da redução de trabalho infantil em mais de 1 milhão de um ano para o outro, houve uma Nota explicativa do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI). Segundo a Nota, o número de 1,8 milhões não incluiu crianças e adolescentes nos quais trabalham no consumo. Contudo, é possível perceber que os números oficiais são alarmantes, além de controversos.

Legislação: idade para Trabalho infantil

A regra base sobre essa questão está estabelecida na Constituição Federal brasileira, no art. 7º, inciso XXXIII e art. 227, § 3º, inciso I, define: crianças e adolescentes compõem um regime especial de proteção da sociedade. Nesse contexto só estão autorizados a trabalhar os menores após a idade de 14 anos. E ainda, quem tem entre 14 e 16 anos só pode trabalhar na condição de menor aprendiz. Ou seja, a atividade precisa ser mais relacionada ao desenvolvimento intelectual do menor e não à exploração de sua força de trabalho. Somente depois dos 16 anos, pode-se exercer praticamente todas as atividades no mercado de trabalho.

Com exceção de trabalhos em período noturno ou atividades consideradas perigosas. Portanto, a classificação das piores formas de trabalho infantil é estabelecida pela Convenção 182 da OIT, adotada por vários países, inclusive o Brasil. Contudo, dentre as atividades nas quais mais oferecem riscos, de acordo com a Convenção 182 estão: exploração sexual, trabalho na rua, minas de carvão, lixão, agricultura, em exposição com agrotóxicos e trabalho doméstico. Mas em suma, tudo aquilo que for prejudicial ao desenvolvimento e à moral das crianças e adolescentes não é permitido.

Trabalho infantil regulamentado

Eventualmente, a depender do caso, mesmo com toda a clareza expressa na Constituição Federal, ainda há a possibilidade de autorização especial da Justiça. Isto ocorre quando o trabalho infantil exerce certas áreas, como é o caso de trabalhos artísticos.

O art. 8º da Convenção 138 da OIT regulamenta a participação de trabalho infantil áreas artísticas, porém há a necessidade de autorização judicial. O alvará de permissão define o número de horas e as condições exigidas a fim dessa atividade envolvendo os menores possam ser exercidas.

Emancipação do menor

A emancipação do menor pode ocorrer a partir dos 16 (dezesseis) anos. São 3 as hipóteses de emancipação. Veja:

  • Voluntária, regulamentada pelo art. 5º, inciso I, do Código Civil ocorre quando os pais autorizam;
  • Judicial, é regulamentada pelo art. 5º, inciso I, do Código Civil ocorre quando o juiz concede em sentença;
  • Legal, prevista no art. 5º, incisos II, III, IV e V, também do Código Civil. Esta é automática e ocorre de acordo com situações previstas.

A emancipação legal pode ser feita através de casamento, ingresso no serviço público e constituição de meios econômicos próprios. Portanto, o menor entre 16 (dezesseis) e 18 (dezoito) anos no qual trabalha e constitui renda própria pode ser emancipado seja por requerimento ou automaticamente. Contudo, se você tiver 14 anos completos, é possível ingressar no Menor Aprendiz, o site Menor Aprendiz Brasil, lista as melhores vagas abertas no país, confira!

Portanto, agora você já sabe a situação do trabalho infantil no Brasil exige muita cautela, depende também da análise judicial na qual autoriza ou não dispõe de uma legislação específica. Continue acompanhando o blog a fim de saber tudo sobre a nossa legislação e suas nuances interpretativas.

Vai entrar com ação nas pequenas causas? Então leia isso!

sobre o autor

conteúdos relacionados

Posso recorrer a Exoneração de Pensão Alimentícia?

Posso recorrer a Exoneração de Pensão Alimentícia?

Se você quer saber sobre a exoneração de pensão alimentícia, este é o artigo certo. Aqui vamos explicar como funciona a exoneração de pensão alimentícia e quando pedir, assim parando de pagar uma pensão alimentícia. Como escolher um software Jurídico para seu escritório? Saiba o que é Pensão...

Como escolher um software Jurídico para seu escritório?

Como escolher um software Jurídico para seu escritório?

Seu escritório já utiliza um software jurídico? Se não, está na hora de você dar mais atenção a isto. Portanto, caso já tenha neste artigo também você vai poder analisar se fez uma escolha certa. Sendo assim, vamos falar sobre as vantagens e benefícios de utilizar um software jurídico, sobre o...

Conheça os tipos de responsabilidade jurídica e fique atento!

Conheça os tipos de responsabilidade jurídica e fique atento!

Primeiramente, todo cidadão possui direitos e deveres e desta emana a responsabilidade jurídica de seus atos. Assim, ao cometer algum ato ilegal, o cidadão está sujeito a ser responsabilizado juridicamente. Neste artigo eu vou falar sobre as três formas de responsabilidade jurídica e na qual...

deixe seu comentário