Publicidade

Descontar Comissão de Vendedor é crime?

agosto 31, 2021
descontar comissão de vendedor

Quem trabalha como vendedor comissionado já ouviu “Vou descontar comissão de vendedor por ter feito isso”.

O trabalhador já se perguntou sobre a legalidade de o empregador descontar comissão no caso em que o cliente desiste do negócio.

Se você é vendedor ou por qualquer razão quer entender melhor sobre isso, acompanhe comigo esse artigo.

Publicidade

Nele vamos explicar se descontar comissão de vendedor é permitido ou não por lei.

Descontar Comissão de Vendedor: O que diz a lei?

descontar comissão de vendedor

De acordo com o princípio da alteridade que rege a legislação trabalhista, é errado descontar comissão de vendedor.

A primeira coisa que você precisa entender, é sobre o princípio da alteridade.

Ele é a base do entendimento sobre o desconto de comissão por desistência e cancelamento do negócio por parte do cliente.

O princípio da alteridade está embutido na regulamentação do artigo 2º da Consolidação das leis de trabalho.

A nossa CLT é que trata sobre a responsabilidade do empregador sobre os riscos dos negócios, nos seguintes termos:

  • Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que, assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviço.

Saiba se proteger de possíveis Golpes do PIX!

Quem assume todos os riscos de sua atividade econômica é o empregador e não o empregado.

Quando o empregador desconta a comissão, ele está repassando esse risco do seu negócio para o empregado.

Em um exemplo prático temos um caso recente de um resort da cidade de Caldas Novas, no estado de Goiás.

A vendedora entrou com uma ação trabalhista contra o resort, alegando diversos direitos lesados pela empregadora.

Neles incluía o desconto de comissões quando houve cancelamento por parte dos clientes dos planos vendidos.

A Justiça de Goiás condenou o resort a restituir todas as comissões que haviam sido descontadas da empregada.

É proibido descontar valores de comissão de vendedores, havendo uma única exceção que é no caso de o comprador ser insolvente.

Esta exceção está regulamentada pela Lei 3.207 que regulamenta as atividades de vendedores, viajantes ou pracistas.

Tirando esse tipo de situação, a CLT considera em seu artigo 466 da CLT que as vendas são efetuadas quando há conclusão da transação.

O pagamento das comissões e percentagens só é exigível depois de ultimada a transação a que se referem.

A venda deve ser considerada concretizada quando ocorre o acordo final entre o comprador e o vendedor.

Esse é o trabalho do vendedor que receberá a comissão pela venda realizada, pelo trabalho concretizado.

A partir do momento que a venda foi realizada, o trabalho do vendedor foi realizado.

Não há o que se falar em desconto de comissão por motivos quaisquer, senão pela insolvência do cliente que poderia aí sim caracterizar uma venda forçada.

Ou seja, o vendedor sabia que o cliente não podia efetuar o negócio.

Conheça as recomendações do MPT para Teletrabalho!

O que fazer no caso do desconto de comissão por parte do empregador?

Bom, ficou claro até aqui que se você é vendedor e está tendo comissões descontadas e isso não está certo.

Ficou claro que pela legislação trabalhista vigente, as empresas não podem efetuar esses descontos de comissões.

Seu trabalho de vendedor e o recebimento de sua comissão se dá a partir da conclusão da venda, que é o seu trabalho.

Se isto estiver ocorrendo, o correto é ter um controle rigoroso de suas vendas e rendimentos mensais e desses descontos.

Tentar negociar com a empresa, deixando claro que você sabe seus direitos e que esse desconto é incorreto.

Não havendo um acordo com a empresa para cessar essa lesão do seu direito, você pode procurar um advogado especialista em direito trabalhista.

Assim, recorrer à Justiça, porque não é correto a empresa repassar seu risco aos seus empregados.

Publicidade

Descontar comissão de vendedor é errado! Compartilhe esse artigo com mais pessoas!

Se você é Advogado, aproveite essa oportunidade! Trabalhe junto com o Advoga!

Acompanhe nosso blog e fique informado sobre diversos assuntos jurídicos!

Encontre advogados perto de você!

Descreva seu problema para nossos profissionais e você será contatado pelo WhatsApp em poucas horas!

* O envio do seu problema é gratuito, porém os honorários oficiais poderão ser cobrados pelo profissional jurídico.

sobre o autor

conteúdos relacionados

Trabalho sem Carteira Assinada: Conheça os seus direitos!

Trabalho sem Carteira Assinada: Conheça os seus direitos!

O trabalho sem carteira assinada ainda é um dos problemas que colocam em risco os direitos do trabalhador brasileiro. De acordo com a legislação, todo trabalhador, pessoa física, que trabalha com subordinação, de forma contínua, com pessoalidade e recebendo uma remuneração, tem direito de ter essa...

Trabalho Escravo: Por que ainda existe nos dias de hoje?

Trabalho Escravo: Por que ainda existe nos dias de hoje?

O Trabalho Escravo ainda é uma das questões sociais mais sérias no Brasil. Dados do Observatório do Terceiro Setor, apontam que em 25 anos cerca de 55 mil pessoas foram resgatadas do trabalho considerado escravo no Brasil. Somente no ano de 2020, cerca de 942 pessoas foram resgatadas trabalhando...

Empresa Simples de Crédito: Conheça esse novo negócio!

Empresa Simples de Crédito: Conheça esse novo negócio!

Neste artigo vamos falar sobre a Empresa Simples de Crédito, um novo negócio que já tem dado o que falar no campo do direito. Já sabe o que é e como ela funciona e a quem ela oferta créditos por meio de empréstimos e financiamentos? Acompanhe a leitura desse artigo que você vai entender tudo isso...

deixe seu comentário